Newsletter Institucional da Universidade do Algarve

Nº 26 - julho de 2017 | Números anteriores

Facebook Twitter Google Plus Linkedin Linkedin More...

 

Entrevista com

o Provedor

do Estudante

 

 

É Provedor do Estudante desde dezembro de 2015. João Botelheiro, 76 anos, a exercer advocacia desde 1976, autodefine-se como “aberto, conciliador, legalista, militante da democracia, defensor do direito e cumpridor das obrigações, numa palavra, alguém que compreende a juventude e embora crítico, quando acha que o deve ser, acredita que estamos a formar o futuro de Portugal.” O Gabinete de Comunicação foi saber o que é que os estudantes da UAlg poderão esperar do seu Provedor


Foi nomeado Provedor do Estudante da Universidade do Algarve em dezembro de 2015. Não sendo um cargo remunerado, porque aceitou este desafio?


Os desafios são sempre de aceitar. Na minha idade e quando se teve uma vida plena de desafios, estes contam mais do que qualquer remuneração. Ser voluntário, quando se acredita que vivemos em democracia, é continuar a lutar pelo bem-estar da sociedade, principalmente quando são jovens aqueles que ajudamos. A razão é a mesma que me leva a dar aulas na Universidade para a Terceira Idade (UATI), também não remunerado.


Desde que assumiu esta função, tem sido muito solicitado pelos Estudantes? Quais são as questões mais recorrentes?


Desde que assumi as funções de Provedor do Estudante, tenho sido muitas vezes solicitado por estudantes. Felizmente, regra geral, as questões colocadas, não têm sido problemas de gravidade. Na verdade, a maior parte das questões recorrentes dizem respeito a questões com o cumprimento de prazos para marcar datas para exames, igualmente alguns alunos que não liquidaram o pagamento das propinas e, em consequência, foram alvos de execuções fiscais, situações também surgem, principalmente com estudantes estrangeiros, que foram alvo de burlas, abusos na rua, com maior gravidade situações de exames anulados e, ainda, para não alargar muito, dificuldade na marcação de datas e constituição de júris.


Pode colocar questões a vários interlocutores dentro da Universidade. Tem sentido que este órgão tem ganho credibilidade dentro da Instituição?


Recorro com frequência aos Serviços Académicos para esclarecer e ouvir opiniões. Na verdade estes serviços têm sido de grande utilidade para o desempenho das minhas funções. É, pois, evidente que igualmente têm decorrido conversas com Professores, Senhor Reitor, que dão credibilidade ao exercício do Provedor do Estudante.


O Provedor do Estudante tem como missão a defesa dos direitos dos estudantes e a reflexão crítica sobre o seu comportamento não deve ser exercida apenas como resposta a exposições e a reclamações. Pode explicar-nos no que consiste concretamente o papel do Provedor?


O Provedor aprecia, critica, quando o deve fazer, aconselha nos comportamentos, é, fundamentalmente, uma pessoa de bom senso que deve ligar a sua experiência de vida ao serviço dos Estudantes e da Instituição Universidade, bem como dos conhecimentos científicos e legais que possui para encontrar um caminho certo para quem tem a juventude para aprender a ciência e a arte de ser um cidadão exemplar.


Se o Provedor não deve ser o primeiro recurso para obter uma informação ou dirimir um “conflito”, em que situações específicas é que os estudantes devem recorrer a este órgão?


O Estudante deve recorrer aos seus Professores, aos Serviços Académicos, à Associação de Estudantes, realizando um diálogo que é, sem dúvida, a mais sábia arte de viver em comunidade. Só depois de percorrido esse caminho civilizado do diálogo é que o Estudante deve recorrer ao Provedor.


O Provedor não pode envolver-se em questões relacionadas com as avaliações dos alunos, mas pode verificar se há harmonia entre o modelo de avaliação definido pelos docentes e a sua aplicação. Sendo esta premissa tão ambígua, de que forma pode ser aplicada?


É uma tarefa das mais difíceis. A avaliação do Aluno é tarefa do Professor. O modelo de avaliação pelos docentes e a sua aplicação, em minha opinião, deve ser tarefa singular dos Professores e coletiva com os demais docentes, tentando formar uma doutrina e jurisprudência na Universidade, dotando-a de filosofia própria.


Um estudante que queira contactá-lo, como poderá fazê-lo?


O Estudante que queira contactar o Provedor poderá fazê-lo através do e-mail provedorestudante@ualg.pt ou solicitar reunião, com marcação prévia, através do telefone: 289 800 121, no seguinte horário de atendimento: terça-feira, das 10h00 às 12h00. Todas as informações referentes a este órgão da Universidade podem ser consultadas aqui.

 

O que é que os estudantes da Universidade do Algarve poderão esperar do seu Provedor?


Os Estudantes da Universidade do Algarve poderão esperar do seu Provedor a mesma pessoa que tomou posse em dezembro de 2015. Aberto, conciliador, legalista, militante da democracia, defensor do direito e cumpridor das obrigações. Numa palavra, alguém que compreenda a juventude e embora crítico, quando acha que o deve ser, acredita que estamos a formar o futuro de Portugal.


Voltar

  

 Subscrever newsletter

 

 

Envie as suas sugestões para:

Universidade do Algarve | Gabinete de Comunicação e Protocolo | Campus de Gambelas 8005 - 139 Faro | Telefone: 289 800 099 | E-mail: gcomunicacao@ualg.pt

 

 

 

 

 

UAlg AMIGA DO AMBIENTE: Antes de imprimir,

pense se é mesmo necessário: o meio-ambiente

é de todos nós e a Natureza agradece!